As fortes chuvas na madrugada de segunda-feira voltaram a prejudicar as cidades da Região Metropolitana de Porto Alegre, quatro municípios estão em situação crítica. Nas cidades próximas ao Rio Gravataí, a reportagem da Rádio Spaço ouviu o coordenador da Defesa Civil, Luís Fernando Kern, de Cachoeirinha, que afirmou que o rio não subia tanto há 40 anos, chegando a 6 metros de altura. O volume de chuvas subiu para 250 milímetros, o dobro do ano passado no período. São aproximadamente 200 famílias desabrigadas. Em Gravataí, algumas famílias foram movidas para escolas e albergues, são mais de 8500 casas atingidas, era programado uma chuva de 140 milímetros, mas choveu 360 mm, informou o Secretário de Governança Comunitária, Alan Vieira. O Coordenador da Defesa Civil de Alvorada, Márcio Motta, comentou que, como a cidade é mais baixa, acabou formando uma represa, 2300 pessoas estão desalojadas.

No Vale dos Sinos, Esteio, que já passou por transtornos no começo da semana passada, voltou a ter problemas com as chuvas. O secretário de Obras da cidade, José Luiz da Silva, deu informações sobre a cidade. Algumas famílias foram movidas de volta para suas casas após normalizar a situação das cheias. Porém, já nesta segunda-feira, a defesa civil voltou a remover a comunidade dos locais, José Luiz afirmou que a situação novamente piorou, voltando a ter o mesmo volume de água. Há aproximadamente 700 desabrigados e 1500 desalojados em Esteio.

As prefeituras das cidades seguem em apoio com a defesa civil realocando a população. Em Alvorada, caminhões fazem o serviço de mudança. Os municípios necessitam de cobertores e colchões, alimentos, materiais de higiene e água potável.

Áudios

Deixe o seu comentário!