O promotor de justiça do Ministério Público de Farroupilha, Ronaldo Lara Resende participou de uma entrevista durante o Fim de Expediente desta terça-feira, 16, onde comentou sobre as determinações de bandeira preta que irão permanecer até o dia 22 de março no Rio Grande do Sul.

Conforme Resende, existem várias questões que dificultam as ações dos políticos nas esferas federal, estadual e municipal. Ainda segundo o promotor, a autonomia pode ser avaliada de algumas formas, mesmo que o governo do estado esteja determinando que somente aceita normas mais rígidas. Desta forma, Resende declarou que caso o município sugira regras mais brandas, o Ministério Público tem o dever de pedir esclarecimentos. “Se ele for discordar, claro que a gente sempre vai pedir que seja demonstrado qual é o plano B ou porque ele está fazendo aquilo”, pontuou.

Ele comentou sobre o caso de empresas do ramo do comércio considerados não essenciais estarem revendendo produtos abalizados como necessários. O promotor salientou que neste primeiro momento não irá pedir explicações os proprietários que optaram em comercializar estes produtos durante as restrições de bandeira preta. Ainda conforme o promotor, ele já solicitou esclarecimento para a prefeitura para saber em que momento estas empresas receberam a autorização para revenderem produtos de outra natureza. Neste sentido ele afirmou que ao final da investigação, caso seja necessário e for comprovado que houve benefício de forma irregular, o ocupante do cargo político no momento em que houve esta autorização poderá ser punido.

Para Resende o momento é muito delicado e qualquer decisão que for tomada pelos gestores não irá agradar a todos. Ele exemplificou que famílias que perderam entes queridos podem estar sofrendo e se sentem seguras em estarem em casa. Ao contrário de empresários ou chefes de famílias que precisam dos empregos para sustentarem suas casas, empresas, tendo que permanecerem com suas filhos sem aulas, o que acaba gerando outros problemas. “É uma bola de neve de desgraça”, comentou.

OUÇA A ENTREVISTA NO ÁUDIO ABAIXO

Áudios

Leia Também

Deixe o seu comentário!