O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Calçado e Vestuário de Farroupilha, Álvaro Boessio declarou que o futuro do segmento é incerto. “É o pior momento. O que a gente sente é que o setor vai extinguir”, pontuou.

No município a categoria já teve mais de 10 mil funcionários e hoje não chega aos 3 mil colaboradores somando todas as empresas do ramo. Somente a Grendene gera 2 mil empregos.

Segundo Boessio, o baixo valor da mão de obra fez com que as empresas migrassem para outros lugares. Hoje os destinos mais visados são Panamá e Haiti, na América Central. O Paraguai também vem crescendo consideravelmente na produção.

Confira no áudio abaixo

Áudios

Deixe o seu comentário!