O vereador e médico Thiago Brunet (PDT) usou o grande expediente na sessão da Câmara de Vereadores desta segunda-feira, 15, para manifestar sua contrariedade à medida tomada pelo governo do estado de classificar a Serra Gaúcha como bandeira vermelha no sistema de distanciamento controlado.

A bandeira determina o fechamento do comércio e serviços não essenciais por um prazo de 15 dias. Durante seu pronunciamento, o vereador justificou que não tem como isolar Farroupilha da região e que a contaminação do coronavírus já está em 70% da cidade. “Essa batalha nós já perdemos”, comentou.

Para ele, agora é necessário enfrentar o vírus com todos os cuidados que a ciência vem ensinando, ou seja, com distanciamento social, evitando aglomerações, utilizando álcool gel frequentemente e usando máscaras.

Brunet entende que por ser médico e defender a vida, as pessoas precisam trabalhar. Ele também comentou que deixar as pessoas em casa não significa que o vírus não vai se propagar.

Sobre a decisão do governador Eduardo Leite em relação a bandeira vermelha, o vereador lamentou a atitude e o desconhecimento do gestor. “Aí vem um cidadão sem conhecimento nenhum e começa implantar um monte de regra que não faz sentido”, ressaltou. Brunet também criticou a determinação dos horários de atendimento para os estabelecimentos considerados serviços essenciais, como agências bancárias. Para ele é necessário que sejam ampliados e não reduzidos, o que evitaria as aglomerações.

Como médico, ele destacou que o estado não pode impedir o cidadão de trabalhar, mas deve dar mais estrutura aos hospitais para que atendam os pacientes diagnosticados pelo vírus. “Fica aqui na minha fala, o meu repúdio em relação ao ato do governador e pedir de forma respeitosa que o governador reavalie o decreto e faça com que os municípios tenham liberdade”, concluiu.

ASSISTA A MANIFESTAÇÃO 

Áudios

Deixe o seu comentário!