A diretora técnica do Comitê Regional da Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne), Marijane Paese, comentou em entrevista à Spaço FM que a entidade é a favor do retorno imediato de 100% das aulas presenciais.

Ela ressaltou que as dificuldades impostas no decreto estadual estão no distanciamento estipulado de 1,5 metro entre os alunos e é isso que precisa ser alterado. A diretora salientou que atualmente a região da Serra está com mais de 50% de pessoas vacinadas com pelo menos uma dose da imunização contra a covid-19 e isso deverá contar como algo positivo para que se mude esse regramento.

Marijane ressaltou que a flexibilização para a volta de eventos passa ser até mesmo uma referência para que a população também possa cobrar das autoridades a volta definitiva das aulas dentro das escolas. "Se pode eventos, porque não retornar com as aulas”, ponderou.

Outro item observado por ela é que a educação online não está sendo efetiva e terá reflexo negativo nos profissionais do futuro. Marijane chamou a atenção para que as faculdades e universidades também se envolvam, no sentido de cobrar resultados mais eficazes. “Se as empresas com 600, 700, 1.000 funcionários conseguem trabalhar, porque as universidades não?”, questionou. Segundo ela, os riscos são os mesmos para todos.

Marijane esclareceu que essas mudanças tem que partir do governo estadual, que é quem define as alterações através de decretos, e acredita que com essas novas flexibilizações o estado já começa a estudar outros regramentos para o retorno das aulas. "Educação é prioridade e temos que voltar com as aulas 100% presenciais”, exaltou.

Para ela a falta de estudo para os alunos irá refletir também nas empresas, pois poderá não haver profissionais capacitados no futuro.

Confira no áudio abaixo

Áudios

Deixe o seu comentário!