A greve dos servidores do poder Judiciário continua. A decisão foi confirmada durante assembleia geral na tarde desta sexta-feira, 1º de novembro. A paralisação acontece por conta de um projeto de lei que está tramitando na Assembleia Legislativa, que busca substituir o posto de trabalho pela função de técnico judiciário. Não há prazo para acabar o movimento. 

O líder da greve em Farroupilha, Robson Sima tem esperança de avançar nas negociações. “Nós vamos avançar nas negociações com a assembleia e o Tribunal de Justiça, porque vai ter um reajuste administrativo voltado ao serviço. A ideia é restabelecer essa prestação juridicional da mehor forma possível”, projetou.

Na última terça-feira, 29, a PL foi votada na Assembleia Legislativa. Na sessão, estiveram presentes vários servidores contrários ao projeto. A proposta foi derrubada por 44 votos a dois. Mesmo com a paralisação, 30% do efetivo mantém o atendimento a serviços de urgência realizados pelo Fórum.

Ouça o áudio abaixo 

Áudios

Leia Também

Deixe o seu comentário!