O ex-promotor de Justiça de Farroupilha, Eugênio Paes Amorim, que trabalhou no município na década de 90, foi suspenso por 53 dias de suas atividades e não irá receber salário por este período, após manifestações ofensivas em redes sociais. Atualmente Amorim, atua no tribunal do Júri de Porto Alegre.

A decisão foi tomada nesta terça-feira, 11, pelo Conselho Nacional do Ministério Público (Cnmp). Na votação o promotor recebeu por nove votos contra dois, para puni-lo pelas suas postagens na internet em março de 2018.

Conforme os membros do conselho, o conteúdo das publicações do promotor são anti-socialistas e denigre a imagens de partidos de esquerda. Uma delas questiona o envolvimento da vereadora do Rio de Janeiro, Mariele Franco, que foi morta em março de 2018, ao tráfico de drogas. Acompanhe os cinco itens que foram analisados pelo conselho:

  • Ofensa à imagem e ataque ao Psol;
  • Estimular a proibição da ideologia comunista;
  • Incitar ódio a minorias;
  • Denegriu as atribuições do MP referente ao artigo 127;

 

De acordo com o relator Otavio Luiz Rodrigues Jr., o promotor já havia sido suspenso por 10 dias em 2015, por ter insultado, em rede social, uma delegada da Polícia Civil. Amorim ainda não foi notificado oficialmente e poderá recorrer da decisão.

Leia Também

Deixe o seu comentário!