A Câmara de Indústria, Comércio, Serviços e Agronegócios de Farroupilha (Cics) afirmou que a prefeitura deve priorizar a realização de cirurgias pelo Sistma Único de Saúde (SUS) ao invés da instalação do novo software da gestão da saúde de R$ 5,7 milhões.

O presidente e o ex-presidente da entidade, Jose Carlos Trujillo e Daniel Bampi, comentaram que a Cics está sendo cobrada pela comunidade para se envolver no assunto. “A Cics está sendo demandada pelos seus associados”, esclareceu Trujillo.

Conforme Bampi, não há como explicar para uma pessoa que está a dois ou três anos esperando uma cirurgia, que precisa colocar uma prótese de R$ 10 a 15 mil. “É dificil de entender se isso é uma prioridade, se como que existe não daria para suprir o trabalho. Temos capacidade para bancar isso? Temos outras prioridades a frente disso?”, questionou.

A contratação do novo sistema custou R$ 3,3 milhões pela implantação e mais R$ 2,3 milhões pela licença do sistema, totalizando cerca de R$ 5,7 milhões. Para manter o sistema em funcionamento e sua manutenção, a administração municipal pagará mensalmente R$ 196 mil.

OUÇA O ÁUDIO ABAIXO 

 

Áudios

Leia Também

Deixe o seu comentário!