O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) subseção Farroupilha, Maurício Bianchi, em entrevista para a Rádio Spaço FM, que foi reproduzida no programa Panorama desta quarta-feira, 14, declarou que os advogados estão sofrendo com a paralisação determinada pelo presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli. “A justiça está de mãos atadas”, pontuou.

Bianchi explicou que a medida de fechamento iniciou em março, um mês após o retorno do recesso do final do ano. Desta forma, são cerca de seis meses de paralisação, o que prejudica os advogados e atrasa mais de 3 milhões de processos físicos. O presidente declarou que muitos colegas afirmaram que não sabem o que fazer diante desta paralisação e alguns relataram que precisaram retornar suas atividades para conseguirem comprar comida. Ele comentou que a OAB está mobilizada para retomar estas atividades e citou que supermercados e farmácias estão com as portas abertas respeitando uma série de medidas para garantir a saúde de funcionários e clientes e afirmou que os Fóruns devem adotar o mesmo sistema.

Ele comentou que através da OAB do Rio Grande do Sul, o CNJ alterou uma parte desta decisão e os estados podem gerir melhor as paralisações. Bianchi ressaltou que processos de reintegração de posse ou de pagamento de indenizações são alguns dos que estão travados. Assim os advogados e os autores destes processos ficam prejudicados sem receber os valores.

OUÇA A ENTREVISTA NO ÁUDIO ABAIXO

Áudios

Deixe o seu comentário!