A tragédia da Boate Kiss que deixou 242 mortos em Santa Maria completa cinco anos neste sábado, 27. Os réus que respondem por homicídio ainda não foram julgados e agora a justiça definiu que não haverá juri popular no caso. Para o presidente da associação das vítimas e sobreviventes, Sérgio Silva, que perdeu o filho de 20 anos na boate, o processo é imoral e foi mal feito. Os acusados, que incluem os sócios-proprietários Elissandro Calegaro Spohr e Mauro Londero Hoffmann, e os membros da banda que iniciou o incêndio, Marcelo de Jesus Santos e Luciano Augusto Bonilha Leão, aguardam o julgamento em liberdade. Em entrevista para a Spaço FM, Silva explicou que os pais conseguiram um reforço, no qual o advogado Ricardo Breier, presidente da OAB-RS será assistente de acusação. “Nós, pais, já pagamos, nós já perdemos nossos filhos”, finalizou.

Confira a entrevista no áudio abaixo:

Áudios

Deixe o seu comentário!