O comandante e o subcomandante do 36º BPM de Farroupilha, tenente-coronel Lúcio Henrique de Castilhos Alencastro e o major Juliano Amaral participaram do programa Fim de Expediente desta terça-feira, 9, e comentaram sobre as ações que estão sendo realizadas após o tiroteio na Sfan.

Segundo o major, foram intensificadas as investigações e o patrulhamento foi reforçado no bairro para coibir o tráfico naquele local. Ele afirmou que o tiroteio teve como motivação o tráfico de drogas, mas as vítimas não tinham ligação com os disparos. Fabiano Faustino, de 31 anos, levou um tiro na cabeça e morreu no Hospital Pompéia e um homem de 52 anos levou um tiro de raspão na perna. Amaral salientou que a parcela de delinquentes existentes no município é pequena e a população não deve ter medo, mas sim confiar e auxiliar a polícia no que for possível.

O tenente-coronel Alencastro comentou que a Brigada Militar está com diversas frentes para coibir o tráfico na cidade, dentre elas a chegada de cinco viaturas da Força Gaúcha e 20 policiais para auxiliar nas ações previstas. ”Em breve vai cair gente”, concluiu.

Leia também

Márcio Ferrari se coloca à disposição para concorrer à reeleição do Sintrafar

Motorista morre em acidente na RSC-453, em Caxias do Sul

Pré-romarias iniciam neste sábado com os caminhoneiros

Áudios

Deixe o seu comentário!