O diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI), delegado Joerberth Nunes, detalhou na manhã desta terça-feira, 26, as investigações que levaram a autoria do assassinato de Rafael Mateus Winques, 11 anos, na cidade de Planalto, no norte do estado.

Conforme o delegado, o caso se assemelha com outro que ganhou repercussão no Brasil, ocorrido na cidade de Três Passos, também no norte do estado. Em 2014, Bernardo Boldrini, de 11 anos, foi morto tendo como suspeitos a madrasta e o pai da criança. "Analisamos o caso de Rafael com o do menino Bernardo e as atenções se voltaram para a mãe”, destacou.

O delegado não descartou a hipótese da mãe ter se inspirado no caso e busca agora uma explicação para o crime, pois a motivação ainda é uma incógnita. Segundo ele, dos depoimentos coletados, nenhum indica que havia alguma desavença entre a mãe e o filho.

O corpo de Rafael foi localizado em uma casa abandonada, nas proximidades de onde o menino residia. Ele estava enrolado em um lençol dentro de uma caixa.

A mãe Alexandra Dougokenski teve a prisão temporária decretada e foi encaminhada para o sistema prisional. O caso não está encerrado, pois não se descarta a possibilidade da participação de outras pessoas no crime.

Deixe o seu comentário!