Um jogador do Brasil de Farroupilha foi preso por porte ilegal de arma de fogo durante o jogo contra o Gaúcho de Passo Fundo que ocorreu na tarde desta quarta-feira, 29.

Segundo a Brigada Militar, no final da partida aconteceu uma confusão entre os jogadores e a polícia entrou em campo. Os dirigentes do time da casa afirmaram para a polícia que um jogador do rubro-verde estaria com um revólver intimidando os adversários.

O atleta fugiu em direção ao vestiário e a BM revistou o local. No vestiário localizaram um carregador, munições, uma faca e uma pistola dentro de uma bola. Um dos jogadores assumiu que a arma era dele e foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil. O delegado definiu em R$ 1 mil a fiança que foi paga por integrantes do clube.

Decorrente deste fato também foi registrada outra ocorrência de injúria racial contra um atleta do time de Passo Fundo.

A partida válida pela segundona gaúcha foi vencida por 1 a 0 para o time farroupilhense no Estádio Arena BSBios que assumiu a liderança do grupo B. Na última rodada o time rubro-verde enfrentará a equipe do Cruz Alta no Estádio das Castanheiras. A partida está agendada para as 15h deste domingo, 2.

ESCLARECIMENTO

O Brasil de Farroupilha emitiu uma nota de esclarecimento sobre o fato que aconteceu em Passo Fundo. O documento explica que o clube lamenta as acusações de injúria racial e estranha que ela tenha sido atribuída a um atleta rubro-verde.

O clube afirmou que está apurando internamente o fato de uma arma ser encontrada no vestiário do time e busca esclarecimento para manter a transparência das equipes.

NOTA OFICIAL

A Sociedade Esportiva Recreativa e Cultural Brasil vem a público se posicionar sobre os fatos ocorridos após a partida realizada nesta tarde na cidade de Passo Fundo que terminou com a vitória do Brasil por 1a 0.

Com relação as acusações de injúria racial reivindicada pelo atleta do S.C. Gaúcho, respeitamos, porém lamentamos e estranhamos que ela tenha sido atribuída a um atleta da nossa instituição poucos momentos após o também nosso atleta Darlan Noronha Lopes ter sido vitima de tal fato por parte de torcedores e de atletas do S.C. Gaúcho.

Dessa forma podemos afirmar que desconhecemos tal acusação com relação a atitude de nosso atleta, mas mesmo assim não iremos medir esforços para apurar e contribuir com a resolução deste fato. Porém lamentamos veementemente as ofensas racistas recebidas pelo nosso atleta Darlan, e presenciadas por grande parte de seus colegas atletas e equipe técnica, fato este que nos entristece e de certa forma nos revolta.

Salientamos que somos uma entidade com mais de 80 anos de existência que sempre prezou por valorizar as diversidades, em nosso elenco de atletas temos o orgulho de contar com inúmeras etnias e até nacionalidades, até mesmo em questão de gênero somos referência, sendo a única equipe da Serra Gaúcha a disputar o Campeonato Gaúcho de Futebol Feminino.

Em tempo, também afirmamos que estamos apurando internamente as denúncias criminais contra o também atleta Luiz Carlos e nosso departamento jurídico está atento e atuante em ambos os casos para que os fatos sejam esclarecidos e a verdade e a transparência sejam apuradas para o bem das duas tradicionais agremiações do nosso interior.

Elenir Luiz Bonetto – Presidente

Leia Também

Deixe o seu comentário!