Uma megaoperação realizada nesta quarta-feira, 24, desmantelou uma quadrilha especializada no tráfico de animais silvestres no Rio Grande do Sul. Na cidade de Bozano a patrulha ambiental do 2° Batalhão Ambiental da Brigada Militar (Babm) de Cruz Alta realizou a prisão de dois indivíduos.

Denominada Operação Ágata, a ação foi realizada pelo Exército Brasileiro em conjunto com os órgãos de segurança pública do estado a fim de coibir os crimes transfronteiriços e ambientais. Foram instalados postos de fiscalização em diversos pontos da região, quando na BR-285, trevo de acesso ao município de Bozano, foi abordado um veículo suspeito tripulado pelos indivíduos. Durante a abordagem, foram encontrados no interior do veículo diversos animais silvestres transportados de maneira precária.

Foram identificados seis filhotes de arara, 15 aves da espécie arara-canindé (Arara arauna), seis macacos da espécie sagui (Callithrix penicillata), quatro aves da espécie xexeu (Cacicus cela) e seis aves da espécie papagaio-verdadeiro (Amazona aestiva), todos transportados de forma ilegal e também em condições de maus tratos (transportados em caixas de papelão amontoados, isopor e alçapão, sem água e comida, presas no porta malas).

Os indivíduos, naturais de Santa Catarina, estavam seguindo em direção a Uruguaiana, fronteira com a Argentina. Devido a quantidade de animais, forma de transporte, modus operandis e a rodovia ser um corredor de acesso a fronteira onde são praticados este tipo de delito havia forte indícios de se tratar de tráfico de animais silvestres.

Foi dado voz de prisão aos indivíduos, apreendido os animais silvestres e deslocado com os mesmos até a Delegacia de Polícia de Ijuí, onde foi efetuado registro da ocorrência e o veículo apreendido.

Posteriormente os animais apreendidos formam encaminhados ao Mantenedouro de Fauna São Braz no município de Santa Maria.

Na Região Metropolitana de Porto Alegre, a operação denomindada Arca, fez buscas contra uma quadrilha que vendia animais silvestres pelas redes sociais. A operação foi realizada em 14 cidades do Vale dos Sinos, Vale do Caí, e outras cidades da Região Metropolitana.

A ação ocorreu em Porto Alegre, Gravataí, São Leopoldo, Cachoeirinha, Viamão, Minas do Leão, barra do Ribeiro, Sapucaia do Sul, Parobé, Portão, São Sebastião do Caí e Alvorada.

Os traficantes negociavam as aves por espécies, e os preços chegavam a R$ 2,5 mil. A quadrilha comercializava ainda , macacos prego, sagui, coruja suindara, jibóia albina, tartarugas, ouiriço pigmeu africano, jabuti e iguanas. A operação envolveu 235 policiais civis e militares.

Os agentes cumpriram também 44 mandados de busca e apreensão, e cinco prisão.

Deixe o seu comentário!