O segundo envolvido nos crimes de tortura e tentativa de homicídio foi preso preventivamente nesta terça-feira, 31, pela Delegacia de Polícia Civil de Farroupilha. Conforme o delegado Éderson Bilhan, a prisão do suspeito ocorreu em Garibaldi através de mandados de busca e apreensão deferidos pelo judiciário de Farroupilha.

Bilhan ressaltou que durante toda a investigação, que prossegue na delegacia, foi apurado que havia a participação eminente de outra pessoa.

Histórico detalhado

A vítima de 38 anos, que foi submetida a mais de 30 atos de tortura, visualizou um anúncio de oportunidade de emprego na internet há cerca de quatro meses em Farroupilha. Ele se candidatou e foi escolhido para trabalhar na empresa. Segundo a investigação, o homem exerceu suas atividades sem nenhum transtorno até o dia 9 de agosto, quando o empregador, preso no dia 19 do mesmo mês, suspeitou que teria desaparecido dinheiro da empresa e, assim, iniciou atos de severas agressões físicas e psíquicas para que a vítima confessasse que havia furtado cerca de R$ 15 mil.

O homem foi submetido a atos como coronhadas na cabeça, os agressores colocavam sua cabeça dentro de um balde de água, aplicavam choques, batiam com a prancha de um facão nas costas e a todo o momento pediam pelo dinheiro. Em um determinado momento a vítima desmaiou e foi levada para as proximidades de Desvio Blauth, no interior de Farroupilha, onde foi encontrada e encaminhada para o Hospital São Carlos pelo Samu. No registro da ocorrência ele afirmou para a Brigada Militar que teria sido assaltado na estação rodoviária. Após receber alta hospitalar, foi recolhido da instituição pelos agressores, já que seria natural de Santa Vitória do Palmar e não teria parentes no município.

Ainda conforme o delegado, durante a noite do dia 10 de agosto o homem voltou a sofrer agressões como queimaduras com cigarro, inserção de agulhas, além de ter cinco dentes arrancados com alicate, o cabelo cortado com uma máquina de tosquiar ovelha, a barba arrancada com pinça e faca sem fio, entre outras lesões.

Durante a tarde do dia 11 de agosto, os agressores levaram o trabalhador para a Linha Boêmios e o obrigaram a se jogar de um penhasco de cerca de 20 metros de altura. Na queda a vítima ficou desacordada e provavelmente teve duas vértebras fraturadas. Quando retomou a consciência, com muita dificuldade, subiu o penhasco e pediu socorro para uma pessoa que acionou o Samu, que o levou para o hospital, momento em que a delegacia tomou conhecimento do caso e iniciou as investigações que prosseguem no intuito de elucidar completamente o caso.

Leia Também

Deixe o seu comentário!