O presidente do Partido Democrático Trabalhista (PDT) e vereador reeleito de Farroupilha, Thiago Brunet, afirmou em entrevista à Spaço FM, que apesar da sua sigla estar coligada com o Partido Socialista Brasileiro (PSB), não apoiou a candidatura de Pedro Pedrozo (PSB) e Francis Casali (PDT) nas eleições.

De acordo com Brunet, a decisão de Casali de fazer parte da chapa como vice, foi particular, tomada junto ao diretório da sigla, formado por pessoas vinculadas a ele. “O presidente não foi escutado. Fiz tantas reuniões lá em casa e o presidente não foi ouvido”, justificou.

O vereador eleito ainda afirmou que a culpa da campanha não ter sido um sucesso e a vitória não ter chegado foi das pessoas que votaram a favor do impeachment, que tirou o ex-prefeito Claiton Gonçalves (PDT) da prefeitura. “Levamos uma surra. Diminuíram os meus votos, do Deivid. Mantivemos dois vereadores por muita sorte”, pontuou.

Segundo o parlamentar, outro argumento que fez com que a campanha não fosse bem sucedida, foi a divisão do partido. A administração atual já havia perdido as eleições no momento da cassação dos direitos de Gonçalves, quando Pedrozo, Glória e Catafesta decidiram se candidatar à prefeitura.

Brunet não tirou o mérito do prefeito eleito, Fabiano Feltrin (PP), destacando que é uma pessoa preparada para assumir a prefeitura, tendo muito o que contribuir com o município. “Tenho certeza que a nossa cidade vai evoluir muito nos próximos quatro anos”, ressaltou. O vereador pretende trabalhar em conjunto ao Excutivo para resolver os problemas de Farroupilha, principalmente a questão de saneamento básico.

VEJA O VÍDEO ABAIXO 

Leia Também

Deixe o seu comentário!