O ex-vice-prefeito de Caxias do Sul, Ricardo Fabris de Abreu anexou mais um argumento no sétimo pedido de impeachment do prefeito Daniel Guerra, que havia sido protocolado na última sexta-feira, 27.  

Desta vez, o autor cita no documento o não acatamento pela prefeitura de recomendação do Ministério Público Estadual e do Federal para a realização do evento Parada Livre, previsto para 17 de novembro, na Praça Dante Alighieri, no trecho da Rua Marquês do Herval. 

Conforme Fabris, o prefeito deve ser denunciado por "em tese, praticar ato improbo discriminatório". Ele já havia protocolado um anexo ao documento na manhã desta segunda-feira, 2. Agora o documento conta com a proibição da bênção pública de Natal dos frades capuchinhos na Praça Dante, a decisão do prefeito de fechar totalmente o Pronto-Atendimento 24 Horas para reformas, irregularidades no chamamento público 149/2019 e a não autorização da realização da Parada Livre.  

A admissibilidade do pedido de impeachment havia sido adiada na terça-feira, 1º de outubro, e agora está marcada para a sessão do dia 8, a partir das 8h30.

Leia Também

Deixe o seu comentário!