O deputado federal Alcibio Mesquita Bibo Nunes (PSL) participou de uma entrevista reproduzida na manhã desta segunda-feira, 12, na qual comentou sobre o episódio envolvendo um cozinheiro de um hotel onde o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro possivelmente iria jantar em Bento Gonçalves na última sexta-feira, 9.

A reserva no estabelecimento nunca foi confirmada tanto pela direção do estabelecimento, quanto por parte da assessoria do presidente.

Bibo destacou que as pessoas podem criticar as atitudes de qualquer presidente, mas não atentar contra a vida deles, inclusive com a hipótese de envenenar a comida que seria servida a Bolsonaro. “Isto é crime e ele vai pagar por isso”, declarou. O deputado afirmou que o caso deste cozinheiro e de outras pessoas que incentivaram a publicação já foi repassado e está sendo investigado pela Polícia Federal (PF).

Ao final Bibo frisou que o caso não tem nenhuma ligação com o hotel onde o homem trabalha. Em nota oficial emitida pelo Spa do Vinho, não havia previsão de refeições ou hospedagem do presidente no empreendimento. A nota também esclarece que não chegou ao conhecimento da empresa qualquer ação policial contra o colaborador e que ele não teria sido preso como foi noticiado em alguns veículos da imprensa.

OUÇA A ENTREVISTA NO ÁUDIO ABAIXO

Áudios

Deixe o seu comentário!