O ex-vice-prefeito de Caxias do Sul, Ricardo Farbis de Abreu entrou com uma ação popular contra a administração municipal liderada pelo prefeito Adiló Didomêncio com o objetivo de anular o processo administrativo 2021/5097.

Conforme Fabris, a ação popular foi motivada pelo fato do prefeito contratar sem licitação uma empresa de advocacia no valor de R$ 500 mil para assumir um processo que, segundo ele, já terminou e pouco resta há fazer, a não ser um ou outro embargo de declaração.

O ex-prefeito explicou que os embargos tem por objetivo corrigir algumas dúvidas na sentença expedida pelo Tribunal de Justiça (TJ). Fabris salientou que Caxias do Sul possui uma Procuradoria Geral (PGM) estruturada e capacitada de recursos intelectuais a ponto de tomar as medidas cabíveis, sem a necessidade da contratação de outros advogados.

Ele sugeriu que o prefeito Adiló Didomênico se reúna com a Câmara de Vereadores e com os credores, no caso a família Magnabosco, com a intenção de colocar um fim nesse processo e chegar a um comum acordo na redução de juros dos débitos e com parcelamentos, até porque isso não será mais possível dentro do processo.

Fabris ressaltou que é um gasto desnecessário e salientou que esses R$ 500 mil comprariam 10 mil doses de vacina Coronavac para serem aplicadas na população caxiense. "Vamos utilizar melhor o dinheiro do contribuinte”, concluiu.

Confira a manifestação no áudio abaixo

Áudios

Deixe o seu comentário!