A ex-governadora do Rio Grande do Sul e deputada federal Yeda Crusius comentou sobre a atual situação financeira do estado, que passa por uma crise financeira. “Quebrado, completamente quebrado, se não estivesse quebrado os servidores estariam recebendo em dia, os hospitais estariam recebendo tudo o que precisam, as escolas estariam todas reformadas. O governador Sartori recebeu um estado quebrado”, afirmou.

Durante a entrevista realizada pelo apresentador Rogério Portolan, Yeda, que é pré-candidata a deputada federal, foi questionada sobre quem deixou o estado nessa situação. “O governo do PT e os que o apoiaram. Não foi sozinho que o Tarso fez isso, ele recebeu bilhões nos cofres. Quais eram os cofres? Era o dinheiro do chamado caixa único, que era o dinheiro do Daer, era o dinheiro do Porto de Rio Grande, que eu deixei intacto, tinha dinheiro e o dinheiro dos depósitos judiciais, esses que são zerados para pagar os servidores e não conseguem pagar, então eu deixei bilhões em cofres. Em um ano e meio acabaram com aquele dinheiro”, ressaltou.

Yeda também comentou que essa situação em que o estado vive pode ser mudada como foi quando ela assumiu como governadora. Ela explicou que está sendo trabalhado um plano de governo para o pré-candidato do PSDB, Eduardo Leite.

Áudios

Deixe o seu comentário!