O vereador Arielson Arsego (MDB) cobrou uma explicação da administração municipal de Farroupilha durante a Sessão Ordinária desta segunda-feira, 17, sobre a informação de que há um grande estoque de cestas básicas no Auditório do Centro de Atendimento ao Cidadão (Ceac).

Em sua manifestação Arsego ressaltou que as empresas e a comunidade vem repassando os donativos para serem doados para famílias necessitadas do município durante a pandemia e não para ficarem estocados.

Na manhã desta terça-feira, 18, a Spaço FM acompanhou o vereador para averiguar os fatos e comprovar a veracidade da denúncia.

A secretária de Desenvolvimento Social e Habitação, Renata Trubian, esclareceu que as doações estão seguindo um cronograma de entrega para que não haja injustiça e para haver um controle sobre as doações.

Ela explicou que das 3.390 cestas básicas doadas por uma empresa privada, ainda restam 1.046, mas que durante esta semana cerca de 200 serão entregues para as famílias devidamente cadastradas nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras).

Renata ressaltou que restarão 846 cestas e que para o mês de setembro esse número é insuficiente para atender a demanda, pois a média mensal em razão da pandemia passou de 120 para cerca de 1.300 doações.

Ela explicou que não há nenhuma irregularidade quanto ao armazenamento e que isso faz parte de um controle eficaz para manter o estoque.

Recentemente a Câmara de Vereadores aprovou a liberação de R$ 150 mil para a aquisição de alimentos que deverão ser repassados para as famílias necessitadas no município.

Conforme a secretária, aproximadamente duas mil cestas serão adquiridas através de um processo licitatório, mas ainda não há uma data definida para a chegada dos mantimentos.

Renata ressaltou ainda que a pasta será auditada pela empresa que doou as mais de três mil cestas básicas. A secretária também orientou as pessoas necessitadas sobre o procedimento para a retirada dos alimentos.

Confira no áudio abaixo

Áudios

Deixe o seu comentário!