A comissão processante do primeiro pedido de impeachment contra o prefeito Claiton Gonçalves (PDT) oferecerá ao gestor três datas para apresentar sua defesa no processo. Caso ele não compareça, a comissão processante considerará a sua ausência como uma desistência e as etapas do pedido de impendimento continuarão.

Esta é a terceira vez que a audiência necessitou ser adiada por conta da ausência do chefe do Executivo. A primeira, Gonçalves alegou que não poderia estar presente devido a covid-19. Na segunda, o advogado do gestor havia feito um procedimento odontológico e apresentou um atestado médico. Na última data marcada para a audiência, Gonçalves viajou para cumprir agenda em Brasília.

No pedido de impedimento consta terrenos que foram adquiridos próximos à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) sem demostrar estudo prévio e sem discutir com a Câmara de Vereadores.

Leia Também

Deixe o seu comentário!