A liminar para cancelar os trabalhos dos processos de impeachment que tramitam na Câmara de Vereadores contra o prefeito de Farroupilha, Claiton Gonçalves (PDT), foi indeferida no Tribunal de Justiça (TJ), em Porto Alegre. Na decisão consta que o pedido não vislumbra fundamento relevante.

Após a liminar ter sido negada pelo juíz Mário Maggioni, a defesa de Gonçalves enviou o documento para a capital gaúcha, pois em sua visão, Farroupilha poderia sofrer influência local sobre processos de impeachment.

Nos pedidos de impedimento há motivos como suplentação de crédito de R$ 10 mil para R$ 890 mil. Além disso, compra de terrenos sem autorização do Legislativo e nomeação de um servidor de carreira que não havia sido exonerado para função de assessor jurídico e procurador-geral do município.

O relator de uma das comissões, Sedinei Catafesta (PSD), deverá entregar o parecer indicando a cassação ou não ainda nesta terça-feira, 12, e na quarta-feira, 13, o presidente da câmara, Fernando Silvestrin (PL), já poderá convocar uma sessão extraordinária para a votação final do processo. 

Deixe o seu comentário!