O governo do Rio Grande do Sul adiou pela segunda vez nesta semana a votação da reforma tributária do estado, que deveria ocorrer nesta quarta-feira, 16, na Assembleia Legislativa.

A votação ficou para esta quinta-feira, 17, após reunião na manhã desta quarta-feira entre o governador e os parlamentares, onde Eduardo Leite apresentou aos deputados uma quarta versão da proposta da reforma tributária.

O governador, jogando todas as fichas, alertou que todos os gaúchos vão sofrer as consequências caso o projeto não seja aprovado. Ele também ressaltou que a classe empresarial irá pagar mais impostos.

Como justificativa para que os parlamentares sejam favoráveis ao projeto, Leite destacou que o governo está tentando evitar uma queda na arrecadação, estimada em R$ 2,8 bilhões.

Ele espera o 'bom senso' dos deputados durante a votação e ressaltou que o resultado da votação poderá ter impacto positivo ou negativo na vida dos gaúchos e principalmente na manutenção dos salários dos servidores de carreira.

Deixe o seu comentário!