A presidente da Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul), Simone Leite, em entrevista nesta terça-feira, 1º de setembro, comentou sobre o posicionamento da entidade em relação ao projeto da reforma tributária do Rio Grande do Sul.

A presidente ressaltou que as lideranças empresariais estão juntas nesta luta e contrários às medidas de aumento de impostos contidas na proposta, especialmente em um momento em que se vivenciam profundos impactos da pandemia na economia.

Segundo Simone, o que o povo precisa nesse momento é de uma mão estendida e não um empurrão para o abismo. Para ela a tributação em cima dos alimentos, medicamentos e transporte público, significa um aumento no custo de vida da sociedade gaúcha.

A reforma tributária que a Federasul busca é aquela que incremente a competitividade das empresas gaúchas, incentive a nova economia e a inovação, base de desenvolvimento, e que contribua com a geração de emprego e renda aos gaúchos. A empresária ressaltou que a entidade defende a não aprovação da reforma e busca no mínimo a retirada do projeto para uma ampla discussão com a sociedade e entidades.

Ela explicou que mais de 30 deputados já assinaram pela reprovação do projeto e que esse número tende a aumentar. “Nós já temos 34 deputados que assinaram não à reforma tributária”, destacou.

Ao final da entrevista a presidente atualizou o número de deputados que estariam se manifestando sobre o pacote proposto pelo governo. Trinta e seis deputados já assinaram pela contrariedade, um a favor, seis estão indecisos e 12 ainda não responderam a entidade. Para que o projeto não seja aprovado são necessários no mínimo 28 votos.

Confira a entrevista na íntegra no áudio abaixo

Áudios

Deixe o seu comentário!