O primeiro pedido de impeachment contra o prefeito de Farroupilha, Claiton Gonçalves, foi protocolado nesta terça-feira, 4, na Câmara de Vereadores. O documento foi entregue pelo empresário e proprietário da TV Cidade, Glacir Gomes. Além do impeachment, um pedido de análise de documentações também foi solicitado pelo empresário.

No pedido, consta terrenos que foram adquiridos próximos à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) sem demostrar estudo prévio e sem discutir com a Câmara de Vereadores. 

Já o pedido de documentação pede a análise dos vereadores em uma suposta contratação de um escritório de advocacia privado, pago com dinheiro público para o projeto 20-40, assim como a contratação da defesa pessoal do prefeito no Tribunal de Contas do Estado (TCE) com recurso público. Além disso, haveria ainda um servidor concursado no cargo de fiscal que exerce atividades privadas de advogado.  

A Rádio Spaço FM estava no Legislativo para acompanhar a segunda sessão do ano e divulgou a informação. O secretário de Turismo e Cultura, Francis Casali, que foi convidado para participar do Fim de Expediente desta terça, não quis comentar sobre o assunto. Casali explicou que Glacir Gomes não contribui com o município. "Só vendo quem protocolou os pedidos eu não preciso comentar nada, a população conhece bem e sabe que é uma pessoa que pouco contribui para o desenvolvimento de Farroupilha", ressaltou.

 

Deixe o seu comentário!