O prefeito Claiton Gonçalves (PDT) será ouvido sobre o processo de impeachment na próxima quarta-feira, 29, às 10h. Segundo o presidente da comissão processante, Fabiano Piccoli (PSB), foram oferecidas ao gestor três datas, sendo os dias 27, 28 e 29, e escolhida a última. A apresentação da defesa e o depoimento das testemunhas serão presenciais na Câmara de Vereadores.

As testemunhas arroladas por Gonçalves começarão a serem ouvidas a partir das 13h30. O passo seguinte do processo de impeachment é a defesa final no prazo de cinco dias. Todos os argumentos serão analisados pelo relator da comissão processante, Jorge Cenci (MDB), que deverá fazer um parecer indicando ou não a cassação do prefeito em até aproximadamente 10 dias.

Depois disso, o documento irá ao plenário para a votação que decidirá o futuro político de Claiton. O prazo para a finalização do processo encerra em 26 de maio, entretanto, de acordo com Piccoli, o período poderá se estender até a primeira quinzena de junho.

Na casa Legislativa estão tramitando dois processos de impedimento. O primeiro, do autor Glacir Nazário da Silveira Gomes, aponta para terrenos que foram adquiridos próximos à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) sem demostrar estudo prévio e sem discutir com a Câmara de Vereadores. Além disso, há suplementação de crédito de R$ 10 mil para R$ 890 mil.

O segundo pedido, de autoria da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), indica compra de terrenos de forma ilegal, ilegalidade na suplementação orçamentária, nomeação de servidor de carreira, manifestação do prefeito sobre críticas ao software de saúde.

 

Leia Também

Deixe o seu comentário!