O presidente da Comissão de Ética da Câmara de Vereadores, Fabiano Piccoli, recebeu nesta terça-feira, 5, o pedido de suspensão do processo administrativo ético-parlamentar, contra o vereador Sedinei Catafesta, indicando a possibilidade da perda de seu mandato.

O pedido atende uma liminar impetrada pela defesa de Catafesta, alegando incostitucionalidade no processo instaurado pela Comissão de Ética da Câmara de Vereadores, quando nomeou os integrantes, Fabiano Piccoli, Tadeu Salib dos Santos e ainda por Deivid Argenta, como revisor pelo regimento interno da Casa Legislativa e não sorteados como pede a Constituição Federal.

Os argumentos justificados na defesa foram acatados pela juíza Cláudia Bampi, que atendeu o pedido de suspensão do processo.

Piccoli destacou que a comissão terá agora 10 dias para apresentar recurso, atendendo as justificativas da magistrada e corrigindo as normativas do processo. Eles não soube informar quanto tempo deverá demorar para ter uma nova resposta da justiça sobre o desfecho do caso, após a apresentação do recurso.

Sedinei Catafesta foi acusado pelo Ministério Público (MP) de ter recebido R$ 20 mil em propina na compra de um arquivo metálico para a Casa Legislativa, quando era presidente em 2014. 

Confira no áudio abaixo

 

Áudios

Deixe o seu comentário!