Os vereadores Deivid Argenta (PDT) e Fabiano Piccoli (PSB) desmentiram a informação de que eleitores teriam entrando com um mandado de segurança para o ex-prefeito Claiton Gonçalves (PDT) reaver o cargo. Os parlamentares afirmaram que foi o próprio Gonçalves que entrou com um documento na justiça, que já foi indeferido pelo juíz Mario Maggioni.

O ex-prefeito e a sua esposa, deputada estadual Francis Somensi, haviam afirmado que quem teria entrado com o documento na justiça eram pessoas que se sentiam lesadas pelo afastamento de Gonçalves.

Segundo Argenta, a decisão política tomada pelo Legislativo de votar pela cassação precisa ser respeitada. “Uma decisão política que aconteceu no impeachment ela deve ser respeitada. Ela está dentro da constituição”, opinou.

Para Piccoli o movimento é normal, porque está dentro do direito do ex-prefeito. Piccoli destacou que no documento consta como autor Claiton Gonçalves e o Legislativo é o alvo do documento.

OUÇA OS ÁUDIOS ABAIXO 

Áudios

Leia Também

Deixe o seu comentário!