O Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios de Farroupilha solicitou para a prefeitura mais fiscalização no comércio ambulante de alimentos. Conforme o presidente do sindicato, Eduardo Fanton, a maior queixa dos associados é a venda de mercadorias em bairros da cidade. Ele ainda salientou sobre a qualidade desses produtos, já que não há especificações sanitárias. Ainda, a responsável pela vigilância sanitária do município, Gisele Rombaldi, destacou o cuidado que a população precisa ter ao comprar esses produtos não regulamentados. Gisele comentou que alimentos de origem animal são os mais perigosos para a saúde da população. A partir disso, uma reunião foi realizada entre as secretarias de Finanças, de Saúde, sindicato e vigilância sanitária para definir de que forma será amenizado o comércio ilegal de alimentos. 

CONSCIENTIZAÇÃO

O projeto Combate a Clandestinidade foi implantado pela vigilância do municípios no corrente ano e tem como objetivo fiscalizar e tentar combater produtos ilegais. Além disso, a prefeitura está organizando um curso em conjunto com Ufrgs para orientar produtores na elaboração e alimentos. Para o Dia Mundial da Saúde, em 7 de abril, a Secretaria da Agricultura e a vigilância sanitária estão programando um evento para apresentar boas práticas relacionadas a elaboração de alimentos. Ela também informa o número da vigilância para denúncia de comércio ilegal de alimentos: (54) 3261.6953.

Ouça as entrevistas abaixo:

Áudios

Deixe o seu comentário!