Diferente da opinião do odontólogo e ex-integrante do Comitê de Atenção ao Coronavírus, André Luciano Pasinato da Costa, que sugeriu testagem em massa em Farroupilha, a administração municipal não vê a necessidade.

Para o vice-prefeito Jonas Tomazini, antes de uma testagem em massa é necessário fazer novas ponderações. Para ele o atual momento da pandemia é bem diferente de quando foram registrados os primeiros casos positivos de coronavírus no município.

Tomazini salientou que no início era possível verificar onde estava o vírus, numa determinada localidade. Hoje com o atual nível de contaminação e de pessoas infectadas em várias localidades é difícil realizar o cercamento.

Ele ressaltou que o prefeito Fabiano Feltrin solicitou a aquisição de 10 mil testes antígenos (teste do cotonete), os quais tem a capacidade de precisar em 30 minutos se uma pessoa está ou não infectada. O vice-prefeito destacou que esses testes estão disponíveis no Centro de Atendimento ao Coronavírus e nas Unidades Básicas de Saúde do município, e que serão aplicados nas pessoas que forem diagnosticadas com os sintomas da covid-19.

Ele comentou que a administração municipal entende que esse é um momento de equilíbrio, de harmonia e de responsabilidade para superar as fases em que o município está vivenciando.

Jonas afirmou que Farroupilha está usando todas as armas possíveis no combate à doença, destacando o teste antígeno para quem apresentar os sintomas, o tratamento indicado pelos médicos após a confirmação da contaminação, o atendimento estendido no apoio ao Hospital São Carlos e a vacinação que está ocorrendo conforme a determinação da Secretaria da Saúde.

Confira no áudio abaixo

Áudios

Deixe o seu comentário!