A primeira dama de Farroupilha, Francis Somensi, comentou sobre o caso da menina de quatro anos, Kimberly Patrícia Dutra Brandão, que enviou uma carta para o Papai Noel pedindo remédios para evitar convulsões.

Conforme a mãe da criança, a distribuição do medicamento na Farmácia Popular não dá conta do problema. Francis explicou que ela recebeu atendimento da Farmácia Popular, mas se expressou mal. “Isso não é verdade”, destacou. A primeira dama também é a coordenadora do projeto Farmácia Solidare, que fornece remédios gratuitos.

Segundo Francis, uma das questões que pode acontecer é uma quantidade pequena, que não seja suficiente para um período mais longo de tratamento ou mesmo a família pode ter perdido os frascos. “Ela mentiu não dizendo o que ela poderia ter dito, 'eu ganhei a medicação', 'eu não sei o que aconteceu, mas não foi suficiente', agora não dizer que ela ganhou menos”, ressaltou.

A primeira dama explicou que o medicamento solicitado pela mãe existe na farmácia e a receita foi repassada para a família da forma correta. “Ela não ficou desamparada nem pelo município nem pela Solidare”, finalizou.

OUÇA A ENTREVISTA NO ÁUDIO ABAIXO

Áudios

Leia Também

Deixe o seu comentário!