O deputado estadual Capitão Macedo (PSL) comentou sobre o tratamento preventivo contra covid-19. Ele salientou que quem precisa decidir sobre a receita de remédios para prevenir o coronavírus é a relação entre médico e paciente.

De acordo com Macedo, os profissionais da saúde precisam ter liberdade de receitar os medicamentos sem proibição. “Proibir médico (de receitar), porque o remédio não é comprovado cientificamente ou não está no índice de uma boa revista, não é por aí”, declarou.

O deputado estadual não defende o sistema de fechamento total, uma vez que a imunidade precisa estar alta para uma boa proteção contra o vírus, além da necessidade que o corpo tem de estar munido com vitamina D.

Ele ainda é contra o sistema controlado, porque o critério de analisar ocupação de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) é um equívoco, pois não é coerente mudar bandeira por conta de um paciente, já que dois ou três dias depois eles terão alta. “Por causa de um homem você arrebentar com o comércio todo é uma locuragem”, comentou.

Conforme Macedo, é incoerente estabelecimentos como supermercados e agências bancárias ficarem abertos com um fluxo de pessoas muito maior que uma loja de roupas. “Não é para fechar supermercado e banco, não estou dizendo isso”, esclareceu.

O parlamentar também opinou sobre a reforma tributária proposta pelo governador Eduardo Leite (Psdb). Ele ressaltou que muitos impostos pagos pelo povo gaúcho não retornam, um exemplo é as rodovias do estado que estão em péssimas condições. Macedo ainda não analisou o Projeto de Lei (PL), mas se houver aumento de tributos, não votará pela aprovação.

OUÇA OS ÁUDIOS ABAIXO 

Áudios

Leia Também

Deixe o seu comentário!