A superintendente-geral do Hospital São Carlos, Janete Toigo e o prefeito de Farroupilha, Fabiano Feltrin, atualizaram os números de pacientes e atendimentos na casa de saúde em relação à pandemia da covid-19. Conforme Janete, os maiores índices de pacientes infectados são da faixa dos 20 aos 60 anos e a taxa de ocupação das UTIs está em 158%, sem falar que a taxa de ocupação do hospital atingiu 90%.

Ela classificou a atual situação como grave e a covid-19 uma doença traiçoeira pelo fato de que em questão de horas as pessoas evoluem o quadro para gravíssimo, e em muitos casos resultando no óbito desses pacientes. Janete esclareceu que as pessoas devem se conscientizar que estamos numa pandemia e ressaltou a importância da vacina. Ela solicitou que todos façam a imunização. "Chegamos no limite, hoje esgotou”, alertou.

Hoje no Hospital São Carlos, por ser referência e de excelência, estão chegando pacientes de outras regiões diretamente para a UTI. Ela comentou que infelizmente voltaram a acontecer acidentes graves com fraturas, cirurgias de emergência que necessitam do pós-operatório de internação na UTI e não há vagas. "O pessoal parece que se soltou”, relatou.

O prefeito Fabiano Feltrin alertou para o número exagerado de atendimentos no Centro de Referência Coronavírus que do dia 1º de junho até esta quinta-feira, 17, foram realizados 1.522 atendimentos no ambulatório covid.

Ele ressaltou que o maior problema enfrentado atualmente é o esgotamento físico e mental dos profissionais da área da saúde. "As pessoas estão querendo abandonar a profissão e não tem onde a gente possa contratar médicos, intensivistas, enfermeiros, anestesistas”, salientou.

Segundo ele, a administração está fazendo tudo o que é possível e agora conta com o apoio da população porque a situação é muito grave. "158% de taxa de ocupação em UTIs é o limite extremo e não temos como aguentar isso”, alertou.

Janete esclareceu que as pessoas que necessitarem de serviço de emergência serão atendidas em uma ala denominada 'Sala Vermelha', onde há respiradores, mas não é uma UTI. "Se cuidem, pensem na vida, porque ela pode ser perdida a qualquer momento por covid ou por qualquer outra forma”, implorou.

O prefeito reforçou o pedido de que esse é o momento de ouvir e atender os profissionais da saúde que também estão solicitando ajuda. “Esse não é o momento de fazer festas, nem de aglomerações”, concluiu.

Confira no áudio abaixo

Áudios

Deixe o seu comentário!