O programa Spaço Livre deste sábado, 24, recebeu a médica endocrinologista Marcia Murussi. Mestre e doutora em Ciências Médicas Endocrinologia pela Ufrgs e professora de Medicina da Univates, ela abordou diversos assuntos ao longo do painel, respondendo dúvidas dos ouvintes.

Entre os principais temas estavam andropausa, distúrbios hormonais masculinos, menopausa e reposição hormonal, distúrbios hormonais femininos e da menstruação, síndrome dos ovários policísticos, excesso de pelos, osteoporose e vitamina D, distúrbios do crescimento, alterações da puberdade, doenças da tireoide, nódulo e câncer da tireóide, punção de tireoide, doenças da hipófise, prolactina, da glândula supra-renal e hipertensão, colesterol e triglicerídeos, síndrome metabólica, ferratina alta, diabetes, entre outras patologias.

Em relação à síndrome metabólica, ela explicou que abrange obesidade, diabetes, hipertensão e alteração de colesterol, HDL e triglicerídeos (dislipidemia). Estes componentes levam ao aumento de mortalidade por infarto, derrame e câncer. "Nós temos o custo de estarmos vivermos mais. Nós comemos mais, nós vivemos mais, nós temos vacina, nós temos comida, nós estamos vivendo mais e as doenças infecto-contagiosas parasitárias foram praticamente debeladas com antibióticos e vacinas. Nós estamos sobrevivendo mais, mas ao custo de estarmos ficando obesos. Nós temos de lutar contra isso", salientou. Segundo Marcia, 50% da população brasileira está com índice de massa corporal acima do normal pelo sedentarismo e pela ingestão de grande quantidade de alimentos. "Excesso de comida e excesso de alimentos processados estão tornando a obesidade epidêmica", ressaltou.  

A doutora ainda destacou que é preciso evitar também a gordura abdominal, que pode ser nociva e tem relação com a síndrome metabólica. A especialista pontuou que o principal a ser feito é evitar o excesso de comida e praticar exercícios desde a infância. "Exercício é o preventivo mais eficaz para todas as doenças". Ao final ela também opinou sobre a pandemia e as medidas de distanciamento controlado no estado. Para ela criança tem que estar na escola e o lockdown extremo acaba resultando em pobreza, falta de saúde, e consequências nas pessoas que deixaram de fazer seus tratamentos por outras doenças.

Marcia atende em Farroupilha na Clínica Bonavita, Rua Rui Barbosa, 139, telefone 3011-0868, e em Caxias do Sul, telefone 3027-1585.

Acompanhe o program em vídeo:

 Ouça o programa na íntegra: 

Deixe o seu comentário!