O secretário de Logística e Transportes do Rio Grande do Sul, Juvir Costella, em entrevista reproduzida nesta sexta-feira, 19, afirmou que as passarelas para anfíbios na Rota do Sol estão sendo instaladas através de medidas determinadas no governo anterior. De acordo com o gestor da pasta, a proposta para a instalação dos equipamentos foi da empresa Biolaw Consultoria Ambiental contratada pelo Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) em 2017. O secretário explicou que as cinco estruturas que estão sendo construídas na ERS-486, em Itati, visam concluir as etapas para proteger a fauna existente no local denominado Reserva Biológica Mata Paludosa. O projeto compõe um complexo inédito no país voltado à travessia de anfíbios, que conta, ainda, com cercas-guias para a condução dos animais para estas estruturas.

Costella ressaltou que anteriormente, a proposta era a construção de um viaduto de cerca de R$ 50 milhões para que os animais pudessem passar pelo local sem a interferência dos veículos. Depois de tratativas houve esta sugestão que foi confirmada por diversas autoridades que se comprometeram em executar as passarelas que irão custar um total de cerca de R$ 2 milhões.

Nesta área de preservação, segundo uma pesquisa realizada durante seis meses, foi constatado um alto índice de atropelamentos de animais, inclusive de espécies que estão em risco de extinção conforme Decreto Estadual de 2014, que são a perereca-castanhola, perereca-risadinha, e perereca-macaca. Esta última é encontrada no país apenas na Mata Atlântica, nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo.

Deixe o seu comentário!