Canoas já está com o cercamento eletrônico funcionando e pretende ampliar o sistema de 150 câmeras para 250 equipamentos. Há uma diferença entre o projeto da cidade da Região Metropolitana e de Farroupilha: a multa.

O secretário de Projetos, Captação e Monitoramento, de Canoas, Darci Levis explicou que o dispositivo tem o objetivo de tornar a cidade segura, pois há muito fluxo de pessoas nas estradas. “O objetivo não é arrecadar dinheiro. Quem passa por Canoas vai para Bagé, Pelotas, Argentina, Santa Maria, vem para a Serra, vai ao Litoral. Muitas fugas de criminosos passam por Canoas”, explicou.

Levis salientou também que equipamentos com o dispositivo para multar custam mais caro. Atualmente, Canoas conta com 344 mil habitantes. No município, as câmeras fazem leitura de placas e faciais e se houver alguma situação de crime ou uma pessoa que esteja fugindo da polícia, a equipe que monitora o sistema é acionada. 

Farroupilha também terá cercamento eletrônico. Foram instaladas 19 câmeras de monitoramento nas estradas que atravessam o município. A diferença de Canoas para a cidade da Serra é que Farroupilha, além de cuidar da segurança, também poderá multar motoristas que estiverem com excesso de velocidade. De acordo com o prefeito Claiton Gonçalves, o sistema funcionará a partir de março.  

OUÇA O ÁUDIO ABAIXO 

Áudios

Leia Também

Deixe o seu comentário!